sábado, 25 de fevereiro de 2017

Mais de trinta

Como agir no fim de um relacionamento

O tempo que você precisa para superar o fim do relacionamento só depende de você

O tempo que você precisa para superar o fim do relacionamento só depende de você

Ninguém está imune, ninguém é bonito, rico, interessante, bom de cama ou inteligente o suficiente pra nunca passar por isso. Todo mundo um dia terminará um relacionamento, se ainda não aconteceu com você, prepare-se, vai vir por aí. Seguem 10 dicas para sobreviver a esse momento sempre tão trágico que não escolhe sexo, convicções políticas e nem nível social.

1. Um dia

Chore, ouça músicas da Adele, fique sem comer nem dormir, chore mais um pouco, permita-se sofrer como se fosse morrer por isso, mas só por um dia. No dia seguinte, levante da cama, tome um banho demorado, arrume o cabelo, ponha uma roupa legal e sinta-se bem (ou o melhor possível) com sua aparência. Acredite, olhar no espelho e se ver um lixo não vai ajudar em nada. Meu lema é “quanto pior, melhor”, quanto mais triste e arrasada, melhor quero parecer. Costuma dar certo.

2. Não alimente o monstro

Depois do “dia da agonia”, nada de continuar em assuntos deprês, músicas idem e filmes pior ainda, pessoalmente, recomendo vídeos de stand up no Youtube (Danilo Gentili e Bruno Motta já me salvaram de boas), comédia bem bobinhas sem nada de romantismo, sair pra dançar e, beber, só se for tequila, (se não tem idade pra cair na night ou não gosta de bebida um dia de parque de diversões tem o mesmo efeito) enfim, demonstre por fora o que queria estar sentindo por dentro. Enfie o pé na jaca e não se dê muito tempo pra pensar no assunto.

3. Não tente entender

Passar noites em claro se perguntando por que você que é bonita, poderosa e divertida foi dispensada por causa de uma adolescente azeda e com cara de cavalo não vai ajudar em nada, se a curiosidade em saber os porquês é maior do que seu orgulho, pergunte, mas aceite a resposta que vier e, acredite, ou ela não será nada lisonjeira ou não será verdadeira, de qualquer forma, não há o que ganhar procurando saber disso. O melhor é deixar pra lá e não pensar mais nisso, salvo em caso de uma curiosidade patológica, poupe-se de maiores detalhes. Até porque essa informação não vai acrescentar nada à sua vida.

4. Não se culpe

Ficar pensando que se tivesse agido diferente isso não teria acontecido só vai te torturar. A não ser num caso extremo (traição, violência) não dá pra mudar seu jeito de ser por causa de um relacionamento que pode ou não dar certo. Agiu como louca um dia? Engordou cinco quilos? E daí? Todo mundo erra e todo mundo tem defeitos, se a outra pessoa não aceitou é porque simplesmente não gostava de você o suficiente ou nem foi isso, vai ver vocês são só incompatíveis e ambos vão acabar sendo mais felizes com outras pessoas.

5. Pegação

Esse é um tópico polêmico. Algumas pessoas vão se sentir melhor se arrumarem logo um one night stand, pegarem um marombado descerebrado só pra brincar, outras preferem nem chegar perto do sexo oposto por meses, ou dependendo do trauma, por anos, ainda há aquelas que engatam um novo relacionamento sério logo de cara, cada uma reage de um jeito, mas duas verdades nesse caso são universais: 1. Não vale a pena ficar seja lá com quem for só pra fazer ciúmes no outro. Pode até dar certo, mas você corre o risco de parecer boba (ou bobo) e até vulgar e ficar com ciúmes não vai necessariamente trazer a pessoa amada de volta. 2. Flertar é bom em 100% dos casos, enquanto beijar ou ir pra cama com outra pessoa pode trazer ressaca moral, um bom flerte sempre faz muito bem à auto estima e ainda serve pra cozinhar em banho maria alguém que pode vir a ser um excelente par num momento melhor.

6. Vocabulário

É difícil controlar o pensamento e não permitir que a pessoa em questão atravesse sua mente de vez em quando, mas a língua dá pra controlar. Não cite o indivíduo a cada vírgula numa conversa, evite frases do tipo “Minha ex adorava essa música”, “Joãozinho implicava com esse vestido”. Pensar faz parte, mas adquira o hábito de tirar essa pessoa da conversa.

7. Comunicação

Evite. É claro que há casos em que não dá pra cortar, existem negócios, bens, filhos, família, tudo envolvido, nesses casos fale o necessário de maneira assertiva e polida, ficar ligando pra saber se o outro almoçou ou se sabe como apagar músicas do Ipod é só uma tentativa de manter contato que, além de óbvia, machuca você e o outro e impede que ambos sigam em frente. O mesmo vale para redes sociais, se acha constrangedor retirar o outro da sua lista de amigos, bloqueie as atualizações dessa pessoa, não vai te fazer bem nenhum ver que o outro continua vivendo enquanto você sofre.

8. Produza

Cabeça vazia, oficina do diabo. Enfie a cara, se tem um emprego, produza mais, inicie novos projetos, atenda seu clientes muito bem preparado, mantenha sua estação de trabalho impecável. Se não tem, faça trabalho voluntário, pegue trabalhos freelancer, estude como nunca. Uma mente ocupada não tem tempo pra ficar se lamentando pelo que perdeu. E ainda pode render bons frutos.

9. Amores

Invista nos amores que sempre ficam um pouco de lado durante um relacionamento, curta seus pais, redescubra seus irmãos, viaje com seus primos, passe horas rindo de bobagens com amigos da vida inteira, faça novos. Aprenda a usufruir da felicidade de ter quem te ama e sempre vai te amar.

10. Bola pra frente

Aprenda com os erros, mas não deixe de acreditar no amor, se calhar de voltar com o ex, a escolha é sua, mas olhe em volta, a vida é cheia de possibilidades, aproveite.

Leia outras colunas de Zilda Borges

Conheça outros colunistas do Mais de Trinta

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!