Wednesday, 16 de October de 2019

Mais de trinta

POT POURRI DO REI PRA ELLA

Amor incondicional

Amor incondicional

Agora eu passei todos os limites do ultra-romantismo e estou gostando muito da experiência. Me decidi: se nosso amor no mundo real é impossível, vou eterniza-lo em textos, combinando com musicas e quem sabe se agradar algum editor que também já sofreu por um amor até mesmo publicar um livro auto-biográfico contanto em prosa e canção sobre minha historia de amor por ELLA.

Hoje um especial do Rei da Musica Popular Brasileira, o inimitável Roberto Carlos. Fundirei pedaços de minha historia com ELLA (a versão mais apaixonada da historia, devo ser sincero; minha ótica, meu ponto de vista , meus sentimentos profundos por ELLA) com trechos e refrões de canções do Rei.

Ao chegar ao ano de 2012 e completar os emblemáticos 40 anos de idade “eu pensei que com tanta experiência eu soubesse tudo,mas ELLA me ensinou que no amor não importa quem sabe mais e que o tempo entre nós não existe” (eu= 40, ELLA=23)”´por tudo que esse amor nos traz, não se afaste de mim, oh oh oh não”.

Vivia vazio em sentimentos desde meu difícil divorcio em 2008 e pensava que nunca mais meu coração iria bater por outra mulher, mas ELLA apareceu como num passe de magica e “todo amor que eu esperava da vida com ELLA eu conheci , e agora ELLA não está aqui (na cidade sim, não nos meus braços); esse jeito de quem não sabe nada, sabe me fazer feliz, não se afaste de mim oh oh oh não…”

Logo depois de nosso primeiro encontro, quando saí de seu ap ainda atordoado com o impacto de sua beleza (era um sábado a noite) fiz questão de ir numa dessas padarias chiques da zona sul (onde ELLA morava) e encomendar uma cesta de café da manhã perfeita, tudo para alegrar seu domingo e faze-la sentir meu carinho.

Mas o principal na época não foi na cesta, não, não estou falando de alguma marca de patê especial ou embutidos importados, estou falando de mim, de corpo inteiro, de coração e alma…porque eu queria naquele momento ser parte constante da vida DELLA eu queria ser tudo Pra ELLA e ainda hoje, apesar de tudo “eu quero ser sua canção, eu quero ser seu tom, me esfregar na sua boca, ser o seu batom; o sabonete que te alisa embaixo do chuveiro, a toalha que desliza no seu corpo inteiro”.

Era algo intenso que estava sentindo naquele fim de semana de outubro em 2012 (época de eleição, estou lembrado). Não era o bastante tê-la apenas por alguns momentos na noite anterior, uma transa e nada mais, eu queria mesmo era amanhecer ao lado DELLA; e isso pra mim fez uma grande diferença pois não sentira isso por ninguém desde meu divorcio: na manhã eu seria aquele que estaria na cama ao seu lado, pois “eu quero ser o sol que entra no seu quarto adentro, te acordar devagarinho , te fazer sorrir: quero estar na maciez do toque dos seus dedos, entrar na intimidade desses seus segredos; queria ser a coisa boa, liberada” (mas apenas consegui ser a) “proibida, tudo em sua vida…”

E olha que lutei muito nos meses subsequentes contra meus novos e perigosos sentimentos aflorados por ELLA, mas foi em vão…já estava completamente apaixonado, enfeitiçado e por que não viciado no jeito DELLA fazer amor (acreditem :é único e especial, nem dá pra explicar o quanto). Não adiantava lembrar de minhas experiências negativas com ex-amores, meu coração ferido e muitas vezes cicatrizado haviam me tornado um “animal arisco, domesticado esquece o risco;me deixei me enganar e até me levar por ELLA.

Eu sei quanta tristeza eu tive, mas mesmo assim se vive: morrendo aos poucos por amor; eu sei o coração perdoa, mas não esquece atoa e eu não me esqueci”; aí meus amigos dizem: esquece essa garota, já deu o que tinha pra dar essa relação”; minhas amigas, algumas nuas na cama comigo também reiteram: “ELLA não gosta realmente de você, apenas te usou, sou mulher e bonita também, sei como funciona”, e até mesmo eu as vezes me digo enfrente ao espelho: “deixa de ser trouxa, para de correr atrás, mulher nesse mundo é o que não falta”; mas depois de tantas negativas e conselhos bem-intencionados chego a conclusão que “não vou mudar, esse caso (ELLA) não tem solução; sou fera ferida no corpo , na alma e no coração…”

Fico procurando explicações físicas para meu vicio NELLA (já que as emocionais são muito loucas e sem nexo mesmo): será que ELLA era tão especial assim na cama comigo, e por isso me marcou indelevelmente? Me lembro dos detalhes de nossa alcova mais ou menos desse jeito: “nosso amor é assim, pra ELLA e pra mim, como manda a receita: nossas curvas se acham, nossas formas se encaixam na medida perfeita”; pensando bem acho que nunca ficamos mais de 30 minutos totalmente vestidos quando nos encontramos (raras vezes pois ELLA era comprometida e tinha vida social intensa), aquela ânsia, aquele desejo muito represado explodia com estardalhaço quando nossos corpos estavam perigosamente próximos: minha boca procurava a DELLA com voracidade, minhas mãos exploravam suas curvas e arrancavam sem piedade suas roupas sempre curtas,apertadas ou reveladoras demais (tipo um embrulho de presente lindo e pedindo pra ser aberto) e era um sonho incrível “bonito demais, quando a gente se beija, se ama e se esquece da vida lá fora; cada parte de nós tem a forma ideal quando juntas estão, coincidência total: do côncavo e o convexo, assim é o nosso amor” (mais o meu que o DELLA) , “no sexo…”

Acho que meu principal erro é tentar entender e definir em palavras ELLA (a indecifrável e misteriosa deusa do sexo), tentar explicar “nós”, nossa química na cama e fora dela, preciso urgentemente de uma auto-análise, de me entender, de conseguir me definir de uma vez por todas, saber realmente quem sou, “eu sou assim: um sonhador que encontrou nessa vida o caminho do seu amor; deixa o seu beijo me mostrar o que ELLA não diz, vem cá.

Por essa madrugada afora, seu beijo no amanhecer, nós somos só nos dois agora e tanta coisa pra dizer: que tudo isso faz sentido, ELLA me faz compreender que tudo é muito mais bonito o tempo” que chamava ELLA de você. “ELLA e eu , e nada mais “, esse sempre foi meu sonho de consumo, mas sempre teve tanta coisa que ELLA deixou estar entre nós obstruindo o caminho: outras prioridades, sempre acima de mim em sua vida.

“No começo “, lá em meados do ultimo trimestre de 2012 , eu confesso: ELLA pra mim era “só um passatempo, e o tempo foi passando devagar, sem querer eu fui chegando, me envolvendo e de repente eu já gostava DELLA”. Aconteceu gradualmente, fui me desinteressando de encontrar e transar com outras garotas (apesar do meu meio de trabalho facilitar muito isso), e aumentando o que sentia por ELLA: de um desejo e tesão fortes e muito físicos no começo evoluiu pra algo mais profundo e pessoal, e eu perdi o controle de meu coração e mente no processo (ELLA por razões diversas sempre manteve os pés no chão , justiça lhe seja feita).

Fui ficando possessivo e ciumento, brigando muito com ELLA, a sufocando, “comecei a tomar conta do seu tempo e sentir que não podia te perder; mesmo assim fui te perdendo pouco a pouco e a saudade é o que me resta DELLA”. Triste contraste na vida: quanto mais lutamos por algo ou alguém, mas nosso objeto de desejo se afasta inexoravelmente de nós, isso é fato, quase uma lei da Física. Dizem que o tempo cura tudo e que um dia eu a esquecerei…será mesmo? Duvido porque quanto mais “passatempo , só não passa essa saudade, ELLA quis brincar de amor e eu a amei; passa tudo, só não passa essa certeza: que não fui na sua vida o que pensei…”

Sem metáforas ou fabulas bonitinhas! Termino essa crônica Poutpourri onde o Rei me ajudou a explicar pra vocês um pouco de minha historia com ELLA, com as palavras imortais do próprio, literalmente (com certeza ele, o Roberto Carlos pensou em “nós” (eu e ELLA) quando compôs essa maravilhosa e derradeira canção de hoje , sempre com minha livre adaptação é claro, onde cometo a pequena heresia de trocar a palavra “você” por “ELLA”, como já devem ter percebido os mais atenciosos):

“Na tentativa de esquecer ELLA,já fiz de tudo que eu podia e não achando uma solução, me vi perdendo as rédeas do meu coração. E ELLA veio simplesmente como um amor de antigamente, uma ilusão que não consigo apagar, amei de novo querendo não te amar. Andei por uma estrada muito longa e pensei que um outro alguém podia aparecer, tirando ELLA da minha vida e me fazendo esquecer, mas não…o meu amor é muito, muito grande agora eu sei e não me deixa mesmo te esquecer: como é que vou tirar ELLA da minha vida se DELLA preciso para viver…”

Link das musicas que usei nesse texto-homenagem em ordem de set-list:

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!