Wednesday, 16 de October de 2019

Mais de trinta

Abraço, o santo remédio para a maioria dos males

Dê um abraço, o coração agradece

Dê um abraço, o coração agradece

Vem cá deixa eu te dar um abraço…

Eu gostaria que todas as pessoas se sentissem abraçadas, às vezes, acho que é isso que falta.

Doação de afeto.

Poderia abraçar alguém que nem conheço e dar a minha energia, caso precisasse – só pela troca da sensação.

Quero doar sorrisos e dizer que se tem alguma coisa ruim, eu juro, vai melhorar.

Alguma coisa que curasse esse aperto, essa necessidade, essa truculência…

Nós temos mais motivos e tempo para olhar para a beleza do mundo, do que tempo para criticar aquilo que independente de nós, tá ai e acontece.

Larga de ser tão duro consigo e com os outros, poxa.

Enquanto achava que estávamos indo para um caminho de uma melhora, as pessoas, com seu jeitinho torto de ser, só provaram alguns passos para trás.

O manifesto de paz ficou escondido em uma necessidade forte de afirmação. E sinto dizer, mas alguns dias perceberão que ninguém ganha nada com isso. Perde-se.

Não se trata apenas da política conservadora ou das divergências de opinião. Trata-se de ser e estar. Trata-se de realmente colocar uma pitada de amor e generosidade na vida. E respeito, claro. Muito respeito. Acho que não pode ser visto nem como direito, nem como dever – deveria ser visto como algo mais natural possível.

Eu gostaria sim de poder mudar o mundo. De dizer em voz baixinha no ouvido dos meus inimigos “calma, eu não tenho nada contra você”.

De dizer baixinho a quem não conheço “você está muito bonito hoje”

De poder abraçar cada uma dessas pessoas e dizer “está tudo bem…”

Queria que todo mundo soubesse que sim, podemos ser a mudança que tanto esperamos e que não devemos desanimar no caminho e que isso não é papo de comercial de TV.

Estamos indo para este caminho.

E uma das sensações que mais gosto nesse mundo é o abraço. Apertado e demorado.

Aquele que nos conecta com o outro. Aquele que a gente troca energia e sente que não está sozinho.

Não sei qual definição dar ao abraço merece, mas de fato queria que se sentisse abraçado.

Já fui salva muitas vezes por um abraço. Pela ternura de alguém…

E nesses dias de caos, gostaria de ser um polvo e abraçar todas as pessoas.

Economizando as palavras, e deixar que os corações juntos em harmonia.

Esse é meu desejo.

Nesses últimos dias o que vi foram pessoas se agredindo demais, nada tem haver com a que luta por ideais.

Não há certos, não há errados. Não houve pausas para argumentos.

Essas ultimas semanas não tive tempo de escrever, de escutar meus discos, de sentar na sala e bater um papo com minha mãe. Chegando em casa lhe darei um abraço. Vou dizer a ela que mesmo depois de vê-la pela manhã, estou com saudades.

Também vou dizer aquele meu amigo, que me disse coisas terríveis a respeito de minhas convicções, que tudo bem, eu posso escutá-lo mais uma vez.

Entre ter razão e ser feliz, escolho a segunda. Não ganho nada levando para casa seguranças para minhas certezas, mas ganho muito deixando para lá tanta coisa…

Provar algo a alguém e a nós mesmos além de tudo é um processo desgastante, onde só se afirmam sentimentos de arrogância ao invés de percepções e de novos olhares para e sobre o mundo.

Esqueçam um pouco desse burburinho lá fora. Dê um tempo para sua cabeça.

E se puder cure e seja curado por um abraço.

 

 

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!