Thursday, March 26, 2015

Eu não mereço ser estuprada

Eu não mereço ser estuprada

Diante de tudo que vem acontecendo e está sendo falado, de uma coisa tenho certeza, a conscientização sobre o assunto deve ser para a mulher. “Por quê?”

A pessoa que defende o ponto de vista que a culpa do estupro é da mulher, vai morrer nessa ignorância sendo cúmplice do ato. Então para esses não temos nada a oferecer nem precisamos provar nada. Não adianta utilizar todas as argumentações que temos; de que roupa não determina quem deve ou não ser estuprada, que na cultura muçulmana mesmo com o uso da burca mulheres são estupradas todos os dias, crianças são vítimas de pedófilos e estupradores mesmo no auge de sua inocência e tudo o que é obvio. Como citei no título do texto, o estuprador está cansado de saber.

Homens criminosos se aproveitam da sociedade machista e ignorante em que vivemos para justificar seus atos e marginalizar a vítima. Pior que conseguem! Até da boca de mulheres ouvimos a máxima de que roupas curtas podem instigar um ato de violência contra a mulher.

Não sei como as pessoas sobrevivem à praia aqui no Brasil. Aquele desfile de biquínis deveria instigar um festival de violências, não?

A conscientização deve ser para a mulher. Temos que ter certeza que por mais sensualidade que possamos transparecer não se justifica atos de violência. Mulheres que vivem de vender o corpo não querem ser estupradas. O homem que comete esse tipo de abuso é um criminoso e não importa a sua roupa, ele iria praticar o ato de qualquer jeito.

Acho incrível como a tendência é sempre marginalizar a vítima. Como as autoridades não assumem a responsabilidade pela segurança das pessoas elas preferem colocar a vitima na posição de responsável por tudo que lhe acontece.

Fui assaltada um tempo atrás e o delegado olhou para a minha cara e disse: – Também a Sra. vai passar nessa rua uma hora dessas é assalto na certa. E aí? Então a culpa é minha por andar em uma rua onde a polícia está careca de saber que existem crimes? A culpa é da vítima? Justificamos o bandido nessa hora?

Mulher tem que conviver com assédio desde que se entende por gente. Andamos nas ruas e não importa a roupa que estamos. Sempre temos que ouvir uma gracinha, uma invasão de espaço com palavras depreciativas e tentativas grosseiras de sedução. Qual mulher não passa por isso quase que diariamente? Entrar em um local predominantemente masculino é um suplicio para qualquer mulher.

Uma mulher não pode se culpar quando coloca uma roupa mais ousada e quer atrair olhares masculinos e ser paquerada. Todos fazemos isso o tempo todo. Homens fazem isso. Não vamos ser hipócritas.

Então mulheres se conscientizem que o problema dessa conduta nunca parte de você, se não consentiu o ato é agressão! Deve ser denunciado. Quem deve sentir vergonha é o criminoso e não você.

Sempre falamos da nossa força na minha coluna e incentivamos a valorização e a luta da mulher na sociedade e essa é apenas mais uma.

E se você faz parte das mulheres que justificam o ato da violência por forma de se vestir pense se gostaria que sua filha, mãe, irmã, amiga passassem por essa, que deve ser a experiência mais degradante e dolorida para uma mulher.

Por isso eu repito: Eu não mereço ser estuprada e você sabe muito bem disso.

Leia outras colunas de Isabella Nóbrega.

Conheça nossos colunistas.

Comentários

Comentários