Thursday, 23 de January de 2020

Mais de trinta

Vida de shake, vida de dúvidas, incertezas, seguindo sem um mapa, sem um guia

A vida é fácil como um shake?

A vida é fácil como um shake?

Geração complicada… Geração dos merecedores de todas as dádivas do universo! E se os contrariar o mundo desaba! Até para emagrecer o povo deixa de comer pra tomar shake. Que contradição. O prazer de comer/mastigar é punido/compensado com a facilidade de refeições líquidas. Até acontece de perder peso, mas ao reiniciar a alimentação sólida ficam novamente roliços, e a culpa? É do shake!

Acostumar-se com o fácil é magnífico! Observando a quantidade de pessoas que por sorte ou destino compensatório do universo conseguem conquistar os bens na vida tão facilmente. Não sei qual é a receita do suculento bolo da prosperidade rápida, mas muita gente ainda tem o desafouro de comê-lo achando que não passa de um biscoito água e sal.

Sinto várias formigas pinicando meu corpo inteiro quando escuto reclamações vindas de quem tem tudo nas mãos, acredito que justamente pelo fato de não saberem como é a receita do bolo da prosperidade duradoura, então acreditam que as coisas caem do céu através de algum bem feitor na terra que tem a obrigação moral/afetiva/punitiva de fornecer-lhe tudo que entende que lhe é de direito. Nomenclatura dada por mim? Tragédia anunciada.

Com a minha limitada observação, na maioria dos casos uma hora o poço seca e nesse momento muita gente sai magoada e, em situações extremas, feridas fisicamente. Não estamos educando quando damos tudo que se pede. Não estamos cuidando, protegendo ou qualquer outro nome que seja usado como justificativa quando não deixamos que as pessoas cresçam. Não deixamos crescer quando o senso de responsabilidade não lhes é ensinado e/ou praticado.

Amigos, parentes, amores e filhos precisam crescer e muitas vezes somos nós quem bloqueamos esse crescimento. Achamos que ao deixar que fiquem dependentes de nós estamos sendo amorosos, achamos que ao passar a mão na cabeça com condutas questionáveis ou passíveis de punição essas pessoas nos colocará em um pedestal do rol dos intocáveis do seu coração, e é onde pecamos.

Essa semana, presenciei fatos sequenciados dos doadores incondicionais sofrendo por rebeldias e agressões aos “nãos” que tiveram que dar. A frustração era tanta que um deles disse-me que a sensação sentida fora de membros arrancados. Não sabia o que fazer já que dedicou a vida a satisfazer as pessoas ao redor. Esqueceu-se de si. Mastigou pedras para dar shakes aos outros.

E cá estou eu com um nó na cabeça, mais uma vez. Até que ponto dar o que se pede, proporcionar tudo que você acha que o outro necessita sem que ele faça algo para conquistar é uma postura de amor? Até que tipo de situação uma pessoa precisa vivenciar para entender que é a sua postura que faz o outro estagnar o crescimento?

Amor cuida, e cuidar é saber que é preciso preparar as pessoas para a sua falta. Querendo você ou não um dia vai faltar. Um dia não poderá atender a alguma solicitação e a reação amorosa de compreensão que espera será, para triste surpresa, um estrondo nuclear. Um dia você pode faltar em vida e essa pessoa vai sofrer para se adaptar ao mundo sem você. Amar é ensinar a viver.

Bom, se quer continuar batendo shakes e servindo com um canudinho colorido, fique à vontade. Só não esquece que quem muito serve um dia será cobrado seriamente pela falta de produto no estoque, e descobrirá que as relações não foram tão sólidas quanto julgava.

Vou ali quebrar umas pedrinhas pra achar minhas pepitas de ouro!!! Tchau!

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!