Tuesday, 20 de August de 2019

Mais de trinta

Por que vou me apaixonar por você?

Paixão

Paixão

Por que vou me apaixonar por você

Nos perdemos entre buscas pessoais e defesas, na esperança de sermos felizes sempre, juntos. A boa sensação de ter o coração ocupado, e assim, inevitavelmente descobrimos que ninguém é feliz sozinho. 

Descobrimos também o real motivo pelo qual escolhemos amar e viver a dois.

Do porque o amor é mais saboroso que a paixão, embora os dois precisem caminhar juntos para que não acabe nem a amizade, nem o tesão.

Sou daquelas românticas que acreditam fielmente no amor, embora às vezes desacredite nas pessoas. Mas tenho fé. Acredito que tudo dura apenas o tempo suficiente e que pontos finais são sempre necessários. Fins e recomeços, este é o ciclo.  Que seja intenso enquanto existir.

Sozinha e com a ajuda do tempo descobri que devemos brindar os acasos.

Não sei se é sorte, coincidência ou destino, mas tem coisas que nunca saberemos os porquês. Alguns amores vieram e breve foram embora, alguns deixaram certas saudades e outros bons ensinamentos. 

Deixei sempre a porta entreaberta para o novo chegar.  Preocupo-me em viver sem armaduras, aberta para que as pessoas me conheçam e me reconheçam.

Talvez esse seja o segredo para que as relações durem.  Quem tem medo de se expor, tem medo de dividir. E o amor é uma divisão, mútua doação. Doa-se ao outro até o que não se têm.

Vivi muitos “quase” amores, até ele chegar.  Todo novo precisa vir sem bagagens, de coração aberto, sem lembranças, sem apegos, sem registros.

Algumas lições a gente não aprende mesmo e outras, que supostamente chamamos de erros, cometemos outras vezes.  Por amor está tudo perdoado.

O tempo também se encarrega de limpar as frustrações, expectativas e decepções. Todas essas passagens me fizeram ver que estava sendo preparada para o verdadeiro amor e que quando ele chegasse, eu saberia.

E ao invés de me apaixonar por muitas pessoas, escolhi me apaixonar por ele – todas às vezes, muitas vezes.

Pela tremedeira que ele me dá, por cada olhar, pela ansiedade e calma que nele habita. Por todo questionamento que ele faz da vida e por me fazer sempre pensar. Por toda sua individualidade, por sutis qualidades e terríveis defeitos. 

Por todo suporte, carinho e atenção que tem comigo.  Por ser generoso e paciente.  Dos beijos de chegada e partida. Daqueles olhos coloridos de ressaca e como sussurra que me ama com a voz rouca de antes de ontem.

Vou amá-lo por ter me tornado paciente, por ter feito valer a pena cada minuto a sua espera.  Não demorou demais a tempo que outro tomasse seu lugar, nem foi rápido demais para que não pudéssemos ter vivido outras histórias. 

Hoje temos a certeza de onde queremos estar.

Me apaixono sempre pelo homem que se tornou. Por tudo que modificou dentro de mim, por me fortificar.  Por toda amizade e energia que nos contempla e te retribuo sendo a melhor amiga que posso ser.  

Te amo pela confiança que deixas em meu coração quando bate a porta e sai; e pela felicidade que é vê-lo chegar.  Pelo tempo que passamos largados ou fazendo algo importante.  Pela doação do tempo, risadas, conversas e no silêncio, temos conforto.

Vou amá-lo por elogiar meus defeitos e insultar minhas qualidades. Por me provar ser leal.

Se me apoiar mesmo nos falsos passos que eu der, se me lembrar às coisas que ainda vou esquecer.  Por nosso amor ser sutil e fugir da perfeição, por respeitamos nossas invariáveis diferenças.

Não precisará ser rico, mas honesto e trabalhador. Precisará ter braços fortes para me carregar no colo quando eu não suportar mais as dores do mundo.

Precisaremos nos admirar, isso sustentará todo o resto.  Quero a sensação de orgulho, um ao outro. Quero que “perca” seu tempo ouvindo minhas histórias.

Por deixar que eu beba e perca o controle, que eu dance.  A liberdade é encantadora, ame-o pela liberdade que possui.  Pessoas livres ficam por que querem.  Quero também que sejas livre.

Se der presentes, escreva sempre um cartão. Não esqueça o poder das palavras, mas lembre-se que palavras não dão ré. Não precisará dizer todo dia que me ama e nem lembrar todas as datas de nossas comemorações. Mostre seu afeto no nosso dia a dia, nos detalhes.

Preciso que divida comigo suas angústias, que me deixe participar da sua vida. Que tenha bons e pacientes ouvidos. Me de conselhos, mesmo que eu não vá usá-los. Me abrace e não me solte mais.

Vou me apaixonar por você quando se preocupar comigo, se me ligar durante a tarde só para saber se estou feliz.  Comemore comigo dias “qualquer”, só pela felicidade de estarmos juntos.  Vou amá-lo se suportar minhas rupturas,  minha fragilidade, meu excesso.  Se fizer meu vazio ficar amparado, se me colocar para dormir e cobrir meus pés gelados.

Na minha TPM, traga chocolates. Te amarei se ainda me achar bonita, com quilos a mais ou a menos.  Gostarei que seja sincero se eu estiver comendo demais, mas não deixe de me levar para comer uma deliciosa massa.

Quero que me ache sempre interessante. Mais bonita do que sexy, mais charmosa do que gata. Quero que me ache inteligente.

Vou ensinar a fazer chá e a não precisar adivinhar como me agradar. Deixarei a caixa de remédios em um lugar visível para que cuidemos um do outro caso a gente adoeça.

Vou amar por termos assuntos, se tivermos humor. Vou me apaixonar mais ainda se dividir as obrigações da casa, de ser mãe de filhos ou de animais.

Se os homens soubessem o que nos impressiona, o que nos conquista e nos retém. Pouco luxo, menos ter, mais “ser”!

Queremos que tenha certa delicadeza, certo sentimentalismo sempre cai bem.

Não gostamos de homem pavão. Nem machista demais, nem feminista demais. Gostamos de homens inteligentes, não necessariamente um pahd em química ou física quântica, mas que seja envolvente, que tenha algo a nos ensinar. Que seja gentil e amável,  que sustente o que somos.

E que para ser “macho” não precise ser um ogro. Ainda procuramos príncipe, mas não ligamos em dividir a conta. Não procuramos pagadores de conta, procuramos amores. Que não estamos interessadas em dinheiro, mas sim em nos sentirmos segura e amadas.

Gostamos de homens que gostam de conversar, porque depois que tudo vai embora é a única coisa boa que fica na relação, as boas trocas. Que o amor foi feito para boas risadas e bons momentos.

O amor é regado com admiração, elogios, surpresas. Um bilhete de bom dia, um café no meio do dia…

Não somos complexas, somos talvez mais simples do que possam imaginar. Queremos comer na cama, ver algum filme bacana, dormir as tantas… Que podemos chorar, teremos um abraço para confortar.

Amarei você o tempo suficiente e necessário para que a rotina não acabe com o bom do amor.

Que não cesse nossas vontades e nossa excitação. Amarei você, como o poeta, de janeiro a janeiro.

Amarei para sempre ou o suficiente para ainda ser amor. Amarei se não se acomodar, se não empurrar a relação com a barriga e ficar comigo até o tempo que seja bom para dois.

Pela sinceridade que há, quando achar que está para acabar, simplesmente renovar.

Me apaixonarei por você quantas vezes precisar.

Leia outras colunas de Luciana Mazzilli

Conheça outros colunistas do Mais de Trinta.

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!