Friday, 16 de November de 2018

Mais de trinta

Se dedicou ao bom moço? Veja o que dá ao procurar homens em meninos!

Olá querido urso, um tempo atrás eu tinha um namorado do tipo que toda sogra quer. Mas desde o momento em que entrei pra faculdade, ele começou a me criticar por eu não ter tempo. Fiz tudo que pude e o que recebo de volta é um par público de chifres. Eu nunca fui de pegar no pé, sempre que ele queria algo a mais, eu estava disposta, topava tudo, mas só porque não vivi 24 horas para ele não significava que não gostasse mais dele (e ainda assim não se justifica uma chifrada). Então, me diga, mando dar uma surra nesse infeliz (ou algo que valha a vingança) ou fico mais um natal me remoendo de raiva por não ter feito nada pela minha honra enquanto ele e a outra se divertem por aí? Beijos da Rena do Papai Noel

 

Olá Rena, pelo que vejo você está com dificuldade em aceitar o término da relação “com o bom moço”, mas não se preocupe isso é normal, levar uma chifrada costuma doer mesmo, na Espanha, toureiros morrem assim.

Acho a sua situação realmente desagradável, só quem levou uma corneada sabe o que isso significa. Dá vontade de se vingar, quebrar tudo, botar a casa abaixo e depois que tudo estiver acabado, sair com aquele ar de felicidade para comprar um picolé.

Antes que comecem os comentários dos machões pegando no meu pé, prefiro avisar, eu não tenho certeza se já tomei um, mas pela probabilidade e também pela quantidade de perguntas que recebo de mulheres infiéis, posso presumir que já deve ter acontecido. Seria eu o “iluminado” de cuca fresca? Talvez, mas prefiro não investigar…

Hoje deixei uma música para o fim da resposta para ilustrar a resposta! Posso afirmar ser um hino da mulher “trocada”.

Tem uma parte da sua pergunta que me deu uma vontade de escrever: “Toma trouxa! Bem Feito!”. Sabe qual é?

Ahhhhh… Que satisfação! As feministas pentelhas de plantão já gritaram antes de eu terminar de escrever, “Eu sei Urso, essa eu sei! É aquela parte onde a rena escreve que fez de tudo e fazia tudo pelo cara! Homem não vale nada mesmo, quem manda ficar tratando bem? Tem é que botar para derreter mesmo!”.

O que posso dizer? Erraram feio! É o trecho que fala sobre o cara “… tinha um namorado do tipo que toda sogra quer”. A história de fazer tudo por alguém faz parte do relacionamento. Nunca vi um só que fosse sério e que não houvesse entrega, aliás, se for para não haver dedicação, melhor nem começar. Atenção, somente as feministinhas pentelhas, cliquem aqui e leiam outra resposta, nem adianta me ofender. O restante pode continuar lendo…

Voltando ao trecho, esses caras com pinta de bonzinho quase sempre aprontam das suas, não que os outros não aprontem, mas esses são os piores. Sei lá, caras como o Rodrigo Faro e o Celso Portioli não me inspiram muita confiança, mas pode ser apenas impressão minha…

Não reclamam, estão sempre sorrindo, adoram suas amigas, comem o que sua mãe coloca na mesa e sempre elogiam, são tão regulados que parecem até que tem hora para ir ao banheiro – “Com licença, são 19:47h e eu preciso ir ao toilet.”.

Eu já fui um desses com perfil “bom moço”, mas cansei. Libertei-me do meu pulôver (hoje já nem sei como se escreve isso) com o emblema do jacaré, deixei de fazer a barba e desencanei de tentar agradar a todos. Não me lembro muito bem, pois isso aconteceu já faz muitos anos, mas acho que essa pressão para ser o “senhor perfeito” acaba atrapalhando, pois o sujeito começa a se sentir sufocado e acaba pisando na bola.

Melhor eu explicar direito, a pressão pode não acontecer por sua parte, pode ser até mesmo uma cobrança do próprio meliante. Com esse negócio da mulher estar super pra frente, mais valorizada e mais independente, alguns homens tentam se adequar da forma que acreditam ser a melhor e com isso acabam criando personagens diferentes de sua essência. O problema acontece com a manutenção dessa imagem.

É provável que o seu ex-príncipe, agora rebaixado a sapo, até tenha realmente amado você. Sentiu-se ameaçado com as mudanças na sua vida e não teve maturidade suficiente para segurar a relação. Preferiu o caminho mais curto.

Em minha opinião você não deve se vingar ou se remoer, a vida está aí, cheia de alternativas, pare de olhar para baixo que você perceberá o quanto ainda pode ganhar. Ah, dá próxima vez já sabe, pare de procurar homens em meninos, por mais crescidos que eles pareçam.

Beijoka do Urso

Obs… Alguém notou a minha sutileza hoje? Repare no último parágrafo… “pare de olhar para baixo” é um eufemismo para dizer que a cabeça da Rena está pesada.

Como prometido, segue “Olhos nos olhos” – escrita por Chico Buarque e na voz de Maria Bethania

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!