Thursday, 21 de March de 2019

Mais de trinta

Várias pessoas em uma só

Tipos de pessoas

Somos varias pessoas diferentes no decorrer da vida : a criança sonhadora, o adolescente apaixonado,o jovem idealista,o homem cínico..o velho já sem esperanças. Assim como as águas do oceano que chegam ate a praia em ondas nunca são as mesmas, nos também nos renovamos, transformamos , evoluímos ( será?).

Várias faces e personas convivendo no mesmo corpo. Faz parte da grande aventura que chamamos de vida. Eu particularmente só não mudei em 3 aspectos básicos de minha personalidade, creio que traços genéticos, hereditários, de formação básica de caráter e com certeza continuarei com esses meus baluartes até o fim de minha vida ou além (quem sabe?).

1. Sonhador

Não importa a fase pela qual estou passando, os sofrimentos,as decepções, gasto grande parte do tempo de meu dia e também da noite sonhando acordado com tempos mais felizes, situações ideais e até mesmo fantasiosas. Na minha mente já ganhei a mega-sena da virada centenas de vezes, ajudei meus amigos e parentes mais próximos com a dinheirama (nunca me imagino sendo feliz sozinho), viajei o mundo de navio transatlântico, na companhia das mais belas mulheres que conheci. Sou assim fazer o que? Quando criança meu melhor brinquedo eram as mãos, que em minha imaginação se transformavam em naves espaciais, em cavalos, em heróis e conversava por horas com amigos imaginários, tecendo verdadeiros roteiros de filmes em minha mente limpa. Tinha um Mundo de OZ dentro de minha mente, e era um garoto extremamente feliz consigo mesmo, apesar da pobreza em que vivia. Sonhar me alivia, me enleva, me faz sobreviver a qualquer situação por mais desesperadora que pareça, como um vicio alivia meu estresse e me tira muitas vezes de uma realidade desalentadora e sem brilho. Sim, sonhar para mim é preciso e nisso nunca mudarei tenho certeza.Talvez por isso ame tanto ELLA; pois em minha mente, podem crer ELLA é muito mais perfeita e linda do que na realidade; e nos meus sonhos ELLA é só minha, o que faz toda diferença do mundo…

2. Escritor

Além do obvio: estar aqui semanalmente agora escrevendo para vocês (graças a Deus , primeiramente, e ao Caio e o Marcelo Vitorino que me deram a oportunidade), tudo em minha vida sempre acaba em letras ou caracteres em uma tela de computador (comecei no anos 80 com esferográfica e velhos cadernos espirais, alguns que ainda guardo como relíquias sagradas). Disse uma vez para um amigo, que só sinto que vivi realmente uma situação quando consigo coloca-la por escrito. Minha vida é escrita e não apenas acontecimentos aleatórios; sinto-me incrivelmente vivo quando escrevo sobre qualquer tema e meu método é sempre o mesmo: tenho uma ideia ou um sonho (lembram do primeiro item?) e depois escolho uma trilha sonora adequada, me desligo da vida, me isolo e me conecto com meu mundo interior derramando tudo que sinto no papel ( ou na tela do monitor), sem se preocupar com o resultado e extraindo um grande prazer disso durante todo o processo até o resultado final. Algumas coisas, levo minutos para escrever (essas crônicas , por exemplo), contos levo meses e tem um livro em processo de gestação há anos (o grande projeto da minha vida com certeza).

3. Apaixonado

Sim , de forma profunda e absoluta com entrega total e dedicação exclusiva a pessoa amada,ao objeto de paixão do momento (sempre uma mulher marcante). Sou movido por emoção e só me sinto vivo quando estou apaixonado, quando tenho uma musa inspiradora. E com ELLA sonho, sobre ELLA escrevo, para ELLA vivo. Tive apenas 7 grandes amores na vida; 7 inesqueciveis mulheres,por quem fui perdidamente apaixonado em épocas diferentes. Teve o amor da adolescência (vamos apelida-la de loira) dos tempos do colégio,primeiro amor, sincero, puro e inocente, mais platonico do que carnal (eu tinha 14 e ela 16)e acabou sem nem ter começado,mas foi tão marcante para mim que até rendeu um conto e o resto é historia…depois teve a “proibida” (ela era casada e alguns anos mais velha do que eu), essa até chegou a largar o marido e sonhou um pouco comigo, mas acabou acordando para dura realidade e vendo que nosso romance não tinha futuro.A terceira, quarta e quinta foram respectivamente a “rapunzel” (belos e cacheados cabelos cor de mel abaixo da cintura e nada de Mega-hair);a “pocahontas” (morena de 18 anos que trabalhava naqueles lava-rapidos fantásticos tão comuns nos anos 90, os patrocinados por rádios FM); e a “modelete” (alta e magra,meio fora do meu biotipo preferido mas com pernas maravilhosas), Amores de verão, esses 3 ; acabaram tão rápido quanto começaram, mas cada um deles marcou a sua maneira. Minha sexta paixão me levou ao altar literalmente falando ( nos casamos de papel passado) e tivemos um filho na união; chamo ela carinhosamente de minha “bunduda”, pois essa parte da anatomia sempre foi a que mais se destacou nela. Redonda, perfeita e modelada por horas de academia (depois que ela parou de fumar, exercício físico se tornou seu novo “vicio) alem claro de um DNA privilegiado que lhe concedia um grau de arrebitamento formidável, do tipo mulata passista de escola de samba só que em pele branquinha.

Quantas vezes eu a acompanhava a distancia só para vê-la rebolando naturalmente toda aquela abundancia e sem surpresa nenhuma, observava carros parando e abordagens sempre rechaçadas por ela com a frase: “já tenho namorado”. Orgulhoso ficava de ser o único dono daquele patrimônio em forma de nadegas, e não cansava de beijar cada milímetro daquilo tudo enquanto a despia na hora do fight (que bunda inesquecível!) , não por acaso ,a única por enquanto ( e creio que pra sempre) que me fez assinar os papeis do casório.

Chegamos na sétima e definitiva, aquela que nomeio singelamente como ELLA, com letras maiúsculas, como ela merece, e para diferenciá-la de outras “elas” genéricas ( e por um motivo secreto que apenas a mesma sabe e já até mesmo citou pra mim em nossas conversas). Uma morena índia de curvas enlouquecedoras, de sorriso perfeito, cabelos longos e lisos (negros como a noite misteriosa e sem Lua). ELLA tem o kit ninfeta num corpão de mulher : voz meiga, jeitinho doce e boquinha pequena com lábios inferiores ligeiramente mais volumosos e sexys. Uma bunda que poderia ter RG, passaporte próprio de tão grande, volumosa, redonda e perfeita ( e eu que nem gosto de bumbum empinado, com já devem ter percebido). Um doce de garota, principalmente. É incrível a paciência que ELLA tem comigo; admito que sou uma pessoa as vezes difícil de se lidar como todos os passionais o são…mas ELLA nunca sai do salto; nunca perde a compostura, nunca me ofende ou humilha, e até se entristece quando eu desesperado lhe declaro toda profundidade do meu amor e ELLA tão longe não pode corresponder…

Nem sei a cidade onde ELLA se encontra (de comum acordo, achamos melhor assim; quanto menos eu saber,menos sofrimento, menos a perder), mas estamos sempre conversando por telefones,celulares, por e-mails, pelo Whats App e outras tecnologias; e o principal : ELLA me garante que volta e eu a espero; o que mais um cara apaixonado pode fazer???

Recentemente, pensando em trocar de TV, pesquisei muito sobre as tecnologias LCD/LED e  PLASMA (NEW PLASMA para ser mais exato), e foi tal pesquisa que me deu a ideia para o titulo dessa crônica de hoje. Penso assim: você tem duas formas de ver ou assistir a vida:

1  No LCD/LED: com mais brilho do que o normal/natural e uma gama de milhões de tons e subtons de cores…tudo saturado e meio lisérgico como um desenho antigo da Disney (lembro especificamente do famoso “FANTASIA”, aquele onde o Mickey usando a varinha do seu amo mágico causa quase um cataclisma de proporções globais). Creio que a maioria vê o mundo dessa forma hoje em dia, porem com dois aspectos negativos dessa forma de visão/tecnologia: cores mais claras as vezes lavadas demais , sem muito contraste o preto fica cinza; e um tempo de resposta meio alto que prejudica a imagem com velocidade de movimento, e quem joga games da nova geração , sabe o quanto isso faz diferença na experiencia.

2 no PLASMA: com um contraste enorme, o preto fica absoluto principalmente se você assiste TV em ambiente escuro, e com um tempo de milisegundos de resposta as imagens em movimento ficam um espetáculo.

Eu via a vida com cores brilhantes e irreais demais antes de conhecer ELLA,e nada era absoluto em minha vida, nada era solido ou sentia como sendo meu realmente. Agora tudo mudou: ELLA é meu contraste, que me concede a visão do preto absoluto ( o abismo que nos separa, as trevas que insistem em abraçar e dissipar a luz dos meus olhos apaixonados). As vezes tomo atitudes impensadas e precipitadas por causa da dor de sua ausência na minha vida, e ELLA reage em milisegundos, me chamando atenção e trazendo-me de volta a razão. Ligações no meio da madrugada ou sms são comuns entre nós e com tais lampejos ELLA se torna cada vez mais minha ancora na realidade, AQUELLA que sempre vai ser meu norte, minha direção…

Nem sei se ELLA lê meus relatos sobre sua pessoa maravilhosa e o quão bem me faz…mas continuo escrevendo, sonhando e me apaixonando sempre e cada vez mais por ELLA. Não sou mais aquele garotinho inocente,adolescente apaixonado ou jovem idealista (ou sou  parte de cada um deles, vai saber?),mas  o que impede de me tornar um velho sem esperanças e cínico é meu sentimento por ELLA.

Mas ELLA é um oceano vasto e tempestuoso num corpo de mulher, um dilúvio que inundou meu coração e tomou conta de minha vida, me afogando,me limpando, me fazendo renascer. Nunca poderei conte-la, ninguém pode; ELLA nunca será totalmente de ninguem;tal qual uma força da natureza ELLA sempre estará livre,linda e etérea.

PS: para entrarem no clima romântico da crônica, favor ouvir o set list abaixo que foi o mesmo que escutei enquanto compunha esse texto, enquanto respirava e transpirava amor por ELLA na madrugada:

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!