sábado, 16 de dezembro de 2017

Mais de trinta

Como lidar com assédio sexual no transporte público

Olá Urso, tem uma coisa que me incomoda demais e eu não sei direito como reagir, vou tentar resumir o problema. Para ir ao trabalho eu pego duas conduções, um ônibus e o metrô, dependendo de como está o dia acabo indo de trem, acontece que em várias situações me sinto mal porque algum idiota fica roçando em mim, como se não bastasse encarar ainda quer tirar uma lasquinha. Não sei o que fazer e gostaria da sua opinião. Beijo grande. Vanessa

Olá Vanessa, como esse tipo de conduta de assedio me dá nojo, vou utilizar o método “Urso Branco” de resolução dos problemas e deixar a lógica falar mais alto, quem sabe assim consigo esconder o sentimento de indignação que tenho quando me deparo com o lado bizarro do ser humano. Molestar uma mulher sexualmente ou qualquer outro tipo de abuso relacionado é sim um ato de violência sexual.

Idiotas existem em todos lugares do mundo, mas acho que Deus escolheu o Brasil para ser o berço da maioria deles, sendo assim, eliminá-los simplesmente acabaria por se tornar um grande problema, não teríamos onde enterrá-los de tão numerosos que são. Outra dificuldade é separar o tipo de idiota que o sujeito é: ele pode ser apenas um bobo ou então o mais perigoso, o idiota que se acha o ser mais esperto do planeta e que considera que todos os outros são mais otários do que ele.

Como separar o esbarrão do abuso?

Claro que nem todo esbarrão é necessariamente um abuso, então cabe usar o bom senso, você está naquele ônibus lotado, parecendo sardinha enlatada e fica um sujeito colado em você, até aí normal, mas se ele ficar suspirando no seu pescoço ou encostado com aquilo em você é sinal de abuso. Ele poderia muito bem ficar de lado…

A mesma ocorre quando, mesmo com espaço suficiente o engraçadinho insiste em ficar esbarrando como se fosse sem querer. O que vai facilitar para você é o fato de que quase todo idiota que faz isso é estúpido o suficiente para deixar claro que está te bolinando.

Pode passar pela sua cabeça que o abuso tem a ver com a sua beleza, mas não tem. De uma coisa eu tenho certeza, ficar feia ou escrota não é uma alternativa para resolver o assédio. Durante meus anos de janela pude notar que, por pior que seja a qualidade do material, sempre existirá alguém querendo consumir.

Isso acontece porque a beleza é muito subjetiva. Conheço homens que não podem ver uma mulher magrela que se metem a falar indecências, outros que gostam das mulheres gordinhas. Pessoalmente, gosto das inteligentes.

Vamos aos fatos:

  1. os idiotas não podem ser extintos
  2. o transporte público não deve melhorar a curto prazo
  3. elogios só são bem vindos desde que feitos com educação
  4. meliante que se encosta demais está mesmo te assediando
  5. ficar feia não vai te salvar

E agora, como reagir diante se um ato de assédio sexual?

Uma das coisas que passam pela cabeça das mulheres é a reação física, mas sem querer desfazer da força feminina, não vejo isso com bons olhos, só recomendo em casos extremos em que não há mais nenhuma alternativa. Se for fazer recomendo atingir áreas vitais, nessa caso estou falando dos países baixos, até porque, pela falta de bom senso apresentado ao te abordar, fica claro o que a vida é para ele.

Não tenho como afirmar com toda convicção do mundo, mas acredito que você não seja filha de ilusionista para simplesmente desaparecer sem deixar rastro, portanto, o risco de ser seguida e piorar a situação é muito maior.

Pense comigo, o cara passou a mão e você desceu do trem para se livrar dele. Existe uma possibilidade do idiota entender, diante da ausência de uma negativa clara, que você desceu para que ele pudesse continuar. Eu sei, essa lógica é imbecil, mas o que você pode esperar de um sujeito que se aproveita de uma situação para molestar uma mulher? Genialidade?

A melhor forma de lidar com o abuso: voz de comando

Mostre o “Capitão Nascimento” que há dentro de você e dê voz de comando. Dentro de todas as possibilidades de reação é a que recomendo. No primeiro sinal de gracinha vire para o sujeito, encare-o de frente, nada de sorriso, olhando diretamente para o meliante, nada de cabeça baixa ou voz de quem se mijou nas calças na sala de aula, diga em tom baixo, mas audível: “O senhor pode se afastar, por favor?”.

Não importa quantos anos o sujeito tenha, a ficha dele vai cair. Caso seja um caso de estupidez crônica talvez seja necessário mais uma ou outra dose como, por exemplo, “o senhor prefere se afastar ou acha mais interessante que eu chame a polícia?”.

O que esses tipos têm medo é de serem afrontados diretamente por alguém que está em segurança. Quando você dá voz de comando ele se sente muito mais constrangido do que se tivesse tomado um tapa. A reação física da sua parte é esperada, porém ele não se preparou para alguém de detém controle da situação.

Se as mulheres começarem a agir assim esses tipos pararão de importunar, o Japão só tem um alto índice de violência sexual pela falta de coragem das vítimas em denunciar seus agressores. Pense a respeito…

Beijo do Urso.

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!