Sunday, 08 de December de 2019

Mais de trinta

Friendzone: A porra da buceta é minha!

friendzone

Você já ouviu falar de “friendzone”? Cada vez mais os homens estão exigindo sexo das amigas, apenas por trata-las bem. E quando o sexo é negado, sentem-se injustiçados, reclamam, fazem “memes” e postagens misóginas no Facebook.

sexo

#mimimi

É um clássico: o menino adolescente se apaixona pela amiga, enche ela de carinho e atenção, passa meses reunindo coragem para se declarar, e acaba tomando um não, porque ela prefere o gatão da escola.

Quantos filmes, seriados e até desenhos animados usaram esse roteiro, mostrando sempre o rapaz como vítima da falta de visão da menina, essa otária que não nota o quanto o protagonista é super gente boa e iria tratar ela muito melhor do que o “outro”.

E claro que o antagonista, o outro cara, tem que tratar ela mal. Tem que trair, ser grosso, deixar ela triste. E assim justificar a nossa raiva da menina, que escolheu ele.

super friendzone

A pergunta é: mesmo que o cara seja tudo isso, alguém tem o direito de legislar sobre quem é a pessoa certa para outro ser humano? Não, e muito menos quando se é parte interessada no processo.

Quem é esse “amigo”, que acha que pode trocar civilidade por sexo? Esse mimimi de friendzone está chegando a tal ponto que logo vai ter gente reclamando que abriu a porta para a menina e ela não quis transar. Se você é um ser humano decente, bom para você! Mas isso não obriga ninguém a querer sair, transar, ou namorar com você.

recalque

Será que quem fez esta imagem está sofrendo por um pé na bunda? Sim ou com certeza? #recalque

A mulher é um ser pensante com capacidade de escolha, e se ela quer dar para o Janjão Brutamontes, infelizmente você não pode fazer nada. Tem que respeitar a escolha dela. E é RESPEITAR mesmo, não ir fazer #mimimi nas redes sociais. E talvez tentar aprender algo com isso. Mulheres não gostam de sofrer. Se ela preferiu o cafajeste a você, ele deve ter algo que você não tem. Pegada? Charme? Papo? Cara de pau?

Fica a dica: pare de perder tempo se lamentando e revise o seu estilo de abordagem.

Para ilustrar, fica a sabedoria do funk, com a Gaiola das Popozudas:

Agora meu amigo, vai tocar uma punhetinha.

Eu dou pra quem quiser, que a porra da buceta é minha. <3

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!