sábado, 01 de outubro de 2016

Mais de trinta

Marido deixa esposa de lado para curtir vibrador

Amigo Urso, sou casada há 4 anos e minha vida sexual sempre foi satisfatória. Só que de uns tempos pra cá, meu marido que era adepto do fio-terra como forma de aumentar o prazer, não se contenta mais com meu(s) dedinho(s). Ele comprou um maldito vibrador! E desde que esse concorrente de peso chegou na nossa cama, nunca mais tive um orgasmo decente. Meu marido insiste em usá-lo todas às vezes (em si próprio), e nem se importa mais comigo. O que devo fazer Amigo Urso? Jogo o brinquedinho dele fora? Ou jogo o marido fora? Estou achando essa situação suspeita demais! Me ajude. Esposa desconfiada.sexo

Cara Sherlouca Holmes, pare imediatamente de mexer nessa panela, é melhor para você, eu garanto que esse arroz já queimou. Entendeu a ironia ou preciso ser mais claro?

Geralmente eu gosto de fazer um suspense para dar a resposta principal, mas nesse caso fico com medo da senhora não me entender, afinal, ainda está em dúvida de uma questão que já está praticamente respondida na própria pergunta. Releia e veja se estou errado…

Seu marido está dando um novo significado para “dobrar o Cabo da Boa Esperança”. Até porque, após conhecer a história do meliante, se dobrou, imagino que teria sido para colocar o tal “Cabo” em algum lugar.

Eu sei, vou parar de rir, é que para quem não está com o problema é engraçado mesmo, me desculpe. Pimenta no dos outros é refresco, no caso do dito, se ela vier em tubo, será mesmo.

Espero que não seja a mulher do leitor do caso “Saí com um travesti. Isso faz de mim um gay? Não, leitor, gay é o Papa! Se tiver mais alguém com dúvida é melhor não ler…“. Já pensou?

Essa história de fio-terra volta e meia aparece na minha caixa de mensagens, homens que experimentaram, uns gostaram, outros não e muitos com medo de gostar…

Isso também faz parte dos papos na roda do futebol, sempre em tom de brincadeira ou acompanhando de comentários maliciosos. Sempre que falo que experimentei e não gostei tenho que ficar escutando abobrinha, mas é verdade, minha próstata não deve ser tão sensível como a dos outros ou então o meu preconceito é muito forte. Porém, como sei que em caráter privado tem muito homem que gosta, fico imaginando quantos dos que tiram sarro chegam a pedir o braço todo…

Uma amiga veio me confidenciar a tempos atrás que o namorado gostava e ela estava ficando preocupada, só espero que você não seja ela disfarçada. Seria constrangedor saber que o … (não citarei nomes) está deixando a mulher na mão em troca de prazeres individuais com um vibrador.

Teve um caso que foi justamente o oposto aqui no blog, a pergunta era do rapaz “Só por que dou para minha mulher posso ser gay?”.

O que a preocupou foi justamente na hora em que o cidadão trocou os dedos por algo mais possante. Culpa dela, claro… Quem mandou insistir tanto para ficar lá enfiando os dedos no cara? Tomou gosto e pediu mais!

Um vibrador pode ser um excelente aliado para um relacionamento, mas no seu caso as coisas não caminharam bem, também pudera, ele já chegou com o intuito de lhe substituir. O marido já trouxe de caso pensado, provavelmente comprou um de tamanho desproporcional ao próprio membro.

Olha, se o cara gosta de levar dedada ou brincar com o vibrador nele, acho que é problema dele, bem como, também é direito individual da pessoa. O problema aqui é que você está insatisfeita com a parte que lhe cabe. Se o cara tá queimando a rosca ou não com outro homem, isso ainda é detalhe, não dá para afirmar que sim.

Fico pensando como seria complicada sua situação se você aparecesse grávida… Será que ele teria que assumir só para não contar para todo mundo que gosta de coisas “diferentes”?

Jogar os brinquedos fora também não adianta muito, daí a pouco você poderá sentir um impacto nas contas da casa, seu marido irá triplicar os gastos na feira só de cenoura, nabo e mandioca. Aí ao invés de um problema, você terá dois! Como a leitora de outra pergunta, lembra dela?

Lembrei de uma coisa que os “antigos” faziam quando queriam tirar a chupeta das crianças, alguns chegavam até a colocar pimenta nelas… Pegou a idéia ou tenho que desenhar para você?

Ainda respondendo a sua pergunta, jogar o marido fora chega também é uma opção. Para mim, relacionamento de longa exposição, como casamento, é batalha diária. Todo dia algo tem que acontecer que reafirme o desejo em permanecer junto.

Acredito sempre que a primeira atitude é uma conversa franca sobre os desejos de cada um da dupla, por favor, de forma educada e sem moralismo ou preconceito. Tenha em mente o objetivo real da conversa, no caso, pelo que entendi, você quer que o marido dê conta de você. Lembre-se que são adultos. Recomendo lembrá-lo dos motivos que a fizeram casar com ele.

Antes do diálogo apenas faça uma reflexão: você está preparada para tudo o que pode acontecer a partir dessa conversa? Se a resposta for “não sei” ou “não”, creio que seja melhor aguardar mais um pouco. Pode ser que ele aceite numa boa o puxão de orelha, como pode ser que ele resolva pegar a meia dúzia de cuecas e ir embora.

Acho que é isso, beijoka do Urso!

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!