Thursday, 25 de April de 2019

Mais de trinta

Convivência entre mãe e filha

Relação entre mãe e filha

Relação entre mãe e filha

Falar de mães e filhas a princípio pode parecer uma coisa banal, mas existe muito mais por dentro desse relacionamento que se possa imaginar. O amor que existe entre uma mãe e uma filha, falando de diversas gerações é algo que não se explica, há uma compreensão mútua, automática, que rola mesmo que não se diga uma só palavra. Claro que há também o caso de pessoas que não se conhecem e não querem se conhecer, mas isso é uma capítulo à parte que inclui traumas de infância , tipos de educação, afastamentos, etc.

Cada mulher, cada pessoa, tem diferentes sonhos e desejos no decorrer da vida, quando se tem um bom relacionamento com a mãe, isso gradualmente cresce e se desenvolve de uma maneira maravilhosa. Então a filha casa, se muda, forma sua própria família e, por alguma razão, separações não planejadas, aquela mulher independente que era autossuficiente e dona de seu nariz, de sua casa, rainha do seu lar, se vê de novo voltando ao convívio de seu antigo lar, é a casa da mamãe. Vendo isso pelo lado mais belo da vida, é maravilhoso! Só que a “mamãe” não a vê como aquela mulher madura e independente, que passou por altos e baixos , por situações que nem sempre foram compartilhadas com essa pessoa tão especial que você jamais vai querer ver sofrendo.

Só que na cabeça desta mamãe, quando você volta, ainda é a “filhinha” amada e que precisa muito dela, tudo bem, eu sei que do carinho de mãe todos nós precisamos sempre, mas já sabemos exatamente aquilo que queremos , mesmos com nossas dúvidas pessoais. A mãe quando volta a conviver com a filha, resgata de novo a “pequena” que deve fazer as coisas como ela diz e como ela manda, porque na cabeça dela você ainda é aquela pessoa que saiu de casa e esta aprendendo a viver, e na verdade , você já entrou em um outro mundo , outro ritmo de vida que muitas vezes ela já não acompanha e não entende. Por sua vez , você madureceu, criou raízes e vínculos com pessoas, e já a vê de outra forma, como uma pessoa carente que quer e requer atenção, carinho e muita presença, uma pessoa que é e sempre foi especial na sua vida e que agora precisa de sua atenção e de seus cuidados o que nos torna muitas vezes quase escravas de uma situação não muito agradável, mas que acontece , por amor.

Para uma mãe, você sempre será a sua "filhinha"

Para uma mãe, você sempre será a sua “filhinha”

Aquele relacionamento que era de unha e carne, fica tenso, a convivência , difícil a pressão, intensa, mas….você a ama, e não quer de jeito nenhum abandoná-la. Por outro lado, você quer manter a liberdade que você conquistou com seu amadurecimento, com sua vida própria , com seus filhos, com seu trabalho, com seu dia a dia. Por um tempo , enquanto estava carente e superando os momentos difíceis passados e que a fizeram voltar, a aceitação é bem maior , mas aos poucos você vai sentindo a necessidade de voltar a ser aquela pessoa forte que se tornou, que não pode mais “receber ordens da mamãe” ai ai, isso é complicado.

E agora, você quer fazer suas coisas, sair, viver, namorar, estar sozinha, estar acompanhada, e por mais que a ame, nem sempre é com a amada mãezinha ao lado, muito menos com as decisões dela sobre o que deve ou não fazer, sua cabeça é outra e a dela também. Então amiga , chegou a hora de mostrar novamente que já sabe o que quer , sem brigas e sem discussões. Haja , saia, faça o que tem que fazer, apenas faça-a sentir-se segura, pois ela vai torcer para que tudo sempre de certo em sua vida, se por acaso ela estiver velhinha, dê todo apoio que precisa, mas jamais abra mão de sua vida e seus sonhos. Porque ate mesmo para que ela receba carinho em dobro de sua parte, VOCÊ tem que estar bem.

Relação entre mãe e filha

Relação entre mãe e filha

Incentive-a fazer atividades onde possa encontrar pessoas da mesma idade e com ideais e gostos semelhantes. Existem cursos para senhoras e senhores de tudo que se possa imaginar, até mesmo universidade para terceira idade, um acompanhamento psicológico para que ela aceite melhor sua liberdade , incentive-a a ter suas amigas mais perto. Reunir-se com elas com mais frequência. Incentive-a a ter sua vida própria também, e vocês terão sempre muito de conversar e partilhar, respeitando o espaço e a individualidade uma da outra e com a outra e permitindo que esse amor continue com todo carinho que merece.

Conheça os colunistas do Mais de Trinta.

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!