domingo, 30 de abril de 2017

Mais de trinta

Por que retribuir o amor é demais para certas pessoas?

Urso, uma dúvida habita minha mente. Por que a maioria de nós não é correspondida? O simples ato de retribuir amor é demais para certas pessoas? Giovanna

 

Olá Giovanna, fico feliz que apenas “uma” dúvida habita sua mente, na minha não consigo ser tão minimalista, sou multi-tarefa, enquanto respondo sua pergunta projeto uma nave espacial, cozinho um bolo, leio o “Kamasutra” de trás para frente e aprendo mais um idioma! Ok, ok, nem tanto assim, me empolguei.

Bom, vamos à sua pergunta, que neste blog é o que interessa mesmo, não sei bem a quem você atribui o “nós” da questão, seriam as mulheres ou as pessoas? Acredito que você tenha se referido as pessoas que sofrem por amor, incluindo você, ou seja, uma fatia da população que ainda não conseguiu achar a outra metade da laranja.

Por esse motivo não concordo que a maioria de vocês não é correspondida. Isso é fruto de um pensamento imediatista e bastante egocêntrico, no sentido literal mesmo.

Relações
Você anda desvalorizando todas as relações interpessoais que têm, imagino que você não está contando com as relações fraternais, aquelas que envolvem familiares como mãe, pai, avós e filhos. Espero que, pelo menos, nesse campo você esteja mais bem servida do que no amoroso.

Sua dúvida pode ser respondida com um pouco mais de observação da sua parte, sugiro que você passe a notar a freqüência do seu problema, se acontece um caso ou outro, você pode ser azarada (aquela que tem muito azar, não aquela que é muito paquerada). Problema resolvido! Procure sua personal mãe de santo tabajara ou o que melhor lhe convir, entregue nas mãos de “Deus” e aguarde que a solução caia dos céus e, por favor, nem leia mais esse blog, sai pra lá azar!

Se, cara leitora mal amada, os agouros do relacionamento a dois lhe são mais freqüentes, contarei uma breve história: se alguém lhe chamar de burro uma vez, não dê ouvidos, se ocorrer novamente, pense a respeito, mas se voltarem a lhe denominar desta forma, compre uma carroça!

Amor correspondido

Como sua pergunta foi feita de forma genérica, não posso culpar os “homens placebo”, pois a retribuição que você espera talvez não tenha a ver com uma relação mulher-homem, mas ficam algumas dúvidas: será que você está dando o suficiente para receber o que quer de volta? Será que o outro lado está retribuindo e você não percebeu, afinal, cada um tem sua forma de amar? Será que você não está esperando demais dos outros?

Tem que ver o que significa corresponder ao amor que você dá… As vezes, as pessoas acham que para serem correspondidas não podem ser contrariadas. Eu sou defensor do estilo “paizão”, calma, não defendo a pedofilia, o que quero dizer é que sou contra esse negócio de ter que concordar com tudo. Pai não é mãe… As feministas de plantão podem me descer o sarrafo, porém ainda considero que o homem deveria, em tese, desempenhar um papel de protetor e não de pano de chão.

Tenho um conhecido que é um verdadeiro romântico, certa vez disse ter encontrado a mulher da sua vida em um piano bar, ela estava lá linda, radiante, iluminada com a beleza que só a escolhida deve ter. Paixão fulminante, por parte dele, é claro, mas paixão é paixão, não interessa de onde vem! Ela estava sentada em uma banqueta próxima ao balcão e após certo tempo passaram a trocar olhares.

Pois bem, enquanto esse conhecido estava cheio de amor para dar e imaginava como seria sua vida ao casar e gerar sua prole, chega outro postulante, troca duas ou três palavras e leva a donzela embora. Moral da história: segundo o pato que perdeu a chance, a culpa foi do destino e não da falta de atitude dele. Já me disseram que a história é sempre contada pelo lado vencedor, mas, caros leitores, como você puderam ler, existem controvérsias.

Abraço do Urso

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!