Wednesday, 16 de October de 2019

Mais de trinta

Eles estão em extinção

Tornou-se um hábito escrever sobre o comportamento feminino e o desencontro habitual com o mundo dos homens. Hoje, quero fazer o contrário, peço que minhas leitoras me perdoem, mas advogarei em causa própria. Escreverei sobre como os homens, comigo incluído, estão se posicionando perante as mulheres que surgiram.

Calma, não proporei a revolução das cuecas, nem qualquer tipo de manifesto que nos faça queimá-las em praça pública como um ato revolucionário. Apenas quero que fique registrada a necessidade da ampliação do entendimento das mulheres sobre nós.

Em pouco mais de seis anos respondendo questões pude notar que 80% se resumia nos mesmos pontos: muitas perguntas sobre como nos agradar, nos manter interessados e nos satisfazer. O restante se referia basicamente a quando sumimos, desaparecemos ou somos raptados por alienígenas por algum motivo desconhecido.

Repararam como as questões são convergentes? Conquistar e dominar, basicamente.

É impossível tratar todos os homens como se tivessem os mesmos interesses, então não vou arriscar a fazê-lo. Tratarei de um tipo bem específico, que é o objeto de desejo de 8 em cada 10 mulheres: do macho. As duas que faltaram nunca conheceram um.

Para infelicidade, quase geral, da população feminina, os machos são uma espécie em extinção. Temos muitos por aí que andam, falam e mostram-se como se realmente fossem, mas macho mesmo, de verdade, é mercadoria rara.

Vamos deixar claro uns pontos sobre o macho para que eu não precise me explicar nos comentários no final do artigo. O sujeito que não quer que a mulher estude, fale, vote, tenha papel nas decisões ou direito a expressar seus desejos não é o macho a que me refiro. Esse é só um idiota que não percebeu que o mundo gira.

O cidadão em questão é o homem que sabe o papel que deve ter na relação (que é o de liderança, não o de comando), que conversa abertamente sobre sexo, que não vê problemas em dividir seus anseios, e que está sempre pronto para apoiar sua companheira, seja trocando uma lâmpada, ajudando a resolver um problema, cuidado de filhos ou apenas servindo como ouvido de plantão.

Esse sujeito não quer saber com quem a mulher dormiu, isso não é problema dele. Não precisa investigar as amigas e nem vasculhar as coisas dela. Não é uma questão de confiança na parceira, ele sabe que tem mercado. Se você bobear, pega a meia dúzia de cuecas que tem na gaveta e vai embora.

Quem quiser ficar com um cara assim terá que se acostumar com o assédio feminino ou morrerá louca. Geralmente são líderes de matilha, detém carisma e muita confiança, o que os tornam alvo de atenções e cantadas. Não consegue lidar com isso? Pede para sair.

Tentar mudá-lo não resolverá o problema por dois motivos: é praticamente impossível que isso aconteça e, se acontecer, ele perderá o brilho que lhe tornou atraente.

Ser macho não é uma tarefa fácil. Até porque, as mulheres não estão acostumadas a lidar com um e estranham quando aparece alguém com esse perfil.

Não existe uma receita de bolo para conquistar um exemplar assim, mas uma pergunta pode ser feita: que tipo de mulher um cara desses quer?

Obviamente, não uma comum. Não faria sentido algum que uma pessoa com comportamento diferenciado fosse querer uma relação estável com alguém que vive na mesmice.

O que é uma mulher comum? É uma mulher dada aos sexismos bobos, que passa mais tempo se preocupando com a vida dos outros do que com a própria, que exagera na maquiagem ou economiza no comprimento da roupa, que deseja chamar atenção apenas pela sua sensualidade como se fosse a única coisa que tem para oferecer.

É preciso muito mais do que o que escrevi. O macho quer alguém que se garanta, sem jogos, sem máscaras. A mulher ideal para ele é alguém que sabe como a vida é, portanto, dá sempre um jeito de ser puta e de ser santa na hora certa. Que entende o que é essencial para que uma relação vá adiante por muito tempo. Só amor não basta, bebê! Se fosse assim, casaríamos com nossas mães.

Para afugentar um macho é muito simples. Basta:

  1. Abusar de jogos psicológicos
  2. Variar de humor excessivamente
  3. Fazer cenas de ciúmes a todo instante
  4. Deixar de cuidar do corpo, da mente e da saúde
  5. Dar importância demasiada para o que os outros pensam
  6. Colocá-lo muito abaixo na ordem de prioridades
  7. Ter pudor ou estar fechada para novidades no sexo
  8. Querer mandar nele ao invés de conversar
  9. Se mostrar indisponível ou não se dedicar ao relacionamento
  10. Provocar ciúmes ou ser infiel

Eu sei, tudo isso parece ridiculamente óbvio, mas a verdade é que os dez mandamentos também são, em teoria foram enviados pelo criador de tudo, e mesmo assim muitas vezes pulamos um ou outro.

É muito difícil encontrar um macho dando sopa. Talvez tenham cinco ou dez em cada cem. Em contrapartida, em um grupo de cem mulheres, há pelo menos trinta opções equivalentes.

Está claro que na dança das cadeiras, vai sobrar muita gente em pé, principalmente quem não tem swing, malemolência, mojo, ziriguidum, borogodó.

Até mais!

Comentários

Comentários

Conteúdo exclusivo e promoções

Cadastre-se

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do Mais de Trinta e ser informado de promoções exclusivas para assinantes. Você receberá duas mensagens por semana!